sábado, 1 de maio de 2010

Doutor House manca!!!


Valeria a pena assistir todos os episódios do seriado House se estes somados não ultrapassassem o número três. A figura grotesca do Dr House faz sucesso, e posso até imaginar a razão: o homem é infalível em diagnosticar e curar. Essa característica o coloca acima dos demais médicos, dos pacientes e da morte. Talvez por isso o doutor não encontre motivo para respeitar quem quer que seja, nem razão para dar palavra de conforto ao doente durante o sofrimento, pois no final do capítulo a doença estará curada e o paciente retornará imortal para sua casa, a despeito do sofrimento imposto pelo frio médico durante todo o período que antecede a cura. Provavelmente este é um dos segredos do sucesso do programa. House até que é um personagem interessante, mas o assunto médico do seriado é extremamente fantasioso, sem correlação com a realidade, e assim o raciocínio clínico contido no programa é cômico, enquanto pretende ser dramático. Sei lá, algo que me lembra a minha infância, como quando deixei de ver desenhos animados por achar absurdo demais as estórias, como por exemplo, o jovem príncipe que muda o bronzeamento e a roupa –e só isso- e ninguém o percebe como a identidade secreta do He-Man. O absurdo torna o seriado uma bobagem.
Mas se há algo que vale a pena de ver o Dr House é : Ele manca! E você nem percebeu a importância disso. E daí que ele manca dirá o meu incrédulo leitor, e eu respondo: o dr dos diagnósticos mirabolantes, dos tratamentos milagrosos é incapaz de se curar. E o redator do programa não fez isso por acaso. Ele se inspirou na mitologia grega, e sabe por quê?
No inicio dos tempos, o centauro Quiron ensinou a Asclépio como curar e diagnosticar, e este último tornou-se o pai da medicina. E Quiron era incapaz de curar sua própria dor, causada por uma flechada em seu joelho (maldito Hércules!). E o seu discípulo Asclépio foi até capaz de ressuscitar mortos. Essa passagem mitológica descreve bem um dos dramas da vida humana especialmente a dos médicos, como bem faziam os gregos. Em certas situações quem dá alívio contra a dor do outro, será incapaz de ter alívio contra o seu próprio sofrimento.
Isso é o que faz achar que ver o seriado valha a pena, mas apenas três capítulos.

2 comentários:

Pois é disse...

Vale lembrar que Asclépio foi fulminado por um raio enviado por Zeus para castigá-lo por sua arrogância de ter trazido de volta à vida um morto

Bagunçaetc... disse...

Realmente o House e o super médico! Realmente a relação de carinho tem que existir . E sei que isso conta muito no tratamento Já sofri com médicos grosseiros como ele.