sábado, 22 de maio de 2010

O médico-metrossexual.


Não, meu distraído leitor, não quero falar do médico que é um “homem” –preste atenção nas aspas- metrossexual, mas sim de uma entidade biológica médica, o médico- metrossexual. Esta pode ser tanto homem ou mulher, notem bem. Mas gostaria de exemplificar um destes na pele de um bigodudo.
O consultório dele fica no topo de um edifício abarrotado de outros menos importantes. Da sua janela é possível ver por completo o hospital mais importante do estado se não do país, mas é claro, menos importante do que a sua sala. O prestígio de qualquer lugar em que o senhor bigode estivesse dependia apenas dele.
Entre um cliente e outro, o doutor enrolava seu bigode, bronqueava a secretária com a cortesia de um neantherdal, alongava seus músculos precisos e preciosos. E então recebia o paciente, este vinha assustado, sabia da fama do Dr, e de ante mão achava que nele estava sua última esperança de salvação. Suas primeiras palavras depois de “bom dia” e “deixe me ver seu exame” são:
- O seu caso é cirúrgico. Opero a senhora em dois dias, no outro lado da rua.
-? ....
- Mas se interne amanhã.
- e os riscos da cirur...
- Há! A senhora pode morrer, até mesmo se eu operá-la. Mas as chances de morte são de 100% se não operar e 98% se outro mexer- disse enfático- nisso aí.
-Outra forma de tratamento?
-Os mesmos 98%.
Acaba a consulta, a paciente sai perplexa, assustada, triste e desamparada. Mas decidiu ser operada em dois dias.
A cirurgia transcorre na data prevista, enorme: da previsão de 4 horas vai para 9 horas, sangue até no teto, suor sem lágrimas. A paciente recebe alta em 14 dias, sem nenhum problema.
E o doutor volta a enrolar seu bigode, gira a cadeira de um lado para outro, com suas pernas esticadas e suas mãos folgadamente cruzadas em sua nuca. Segue como o senhor da vida sem se preocupar com sentimentos, pois sabe que o que interessa são os sucessos de suas cirurgias, que os ventos entoam para todos os cantos. E a medicina esta em suas mãos, como um instrumento de sua vaidade.
-Próximo!
Senhor Hyde e Dr. Jekyll

Nenhum comentário: